Telefone/WhatsApp: (84) 3412-4414

Justiça arquiva inquérito que apurava se Elize Matsunaga teve ajuda para matar e esquartejar marido


Postado em 4 de agosto de 2018 - 10:36h

A Justiça de São Paulo arquivou o inquérito da Polícia Civil que investigava se Elize Matsunaga teve ajuda no assassinato do marido Marcos Kitano Matsunaga em 2012.

Relatório final do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu em que bacharel em direito agiu sozinha. Cópia do documento, obtida em abril deste ano pelo G1, não aponta uma terceira pessoa na cena no crime. A decisão da Justiça pelo arquivamento ocorreu no final de julho.

Em 2016, a bacharel em direito foi condenada à pena de 19 anos, 11 meses e um dia de prisão em regime fechado por matar o herdeiro da empresa de alimentos Yoki.

Elize sempre confessou ter feito tudo só. Contou ter atirado na cabeça de Marcos para se defender das agressões dele no apartamento do casal, na Zona Norte da capital. Depois, esquartejou o corpo e espalhou em sacos na Grande São Paulo.

Fonte: G1