Telefone/WhatsApp: (84) 99911-9627

Crianças se espelham em Messi e CR7 para seguir carreira no futebol


Postado em 5 de fevereiro de 2020 - 8:26h

Ser criança é bom demais. Você brinca, se diverte e, digamos, não tem tanta responsabilidade. Essa, porém, não é a realidade de Lucca De La Torre Noschese, de 5 anos, e Julia Rosado de Souza, de 10. Apesar da pouca idade e ainda estarem se formando como pessoas, os dois já sabem muito bem o que querem para o futuro: jogar futebol profissionalmente.

Ainda no primeiro ano do ensino fundamental, Lucca sempre conviveu com o esporte, principalmente o futebol, muito por conta do amor de seus familiares mais próximos pelo Santos.

“Meu pai, minha mãe e minha vó gostam muito de futebol e eu amo ir ao estádio. Eu sempre vou nos jogos do Santos e fui também ver o Brasil na Copa América”, explicou ele, que respondeu às perguntas da reportagem enquanto corria e chutava uma bola na garagem da casa em que vive, na zona sul de São Paulo.

Por ser torcedor do Santos, o garoto tem como principais ídolos Neymar, que durante anos brilhou com a camisa alvinegra e também Soteldo, venezuelano que é um destaques do time atual. Porém, não é neles em que Lucca se espelha.

“Quando eu crescer, quero ser bom como o Messi. Eu sonho em jogar no Santos e na seleção brasileira, mas quero muito disputar uma Champions League também”, disse.

e o menino é fã de Messi, a menina também mostra que acompanha futebol europeu. Além, é claro, do futebol feminino.

“O meu ídolo no futebol masculino é o Cristiano Ronaldo. Já no feminino, eu amo todas as meninas, cada uma com suas histórias e suas características, mas eu me identifico mais com a Cristiane e com a Andressa Alves, por serem canhotas e jogarem na mesma posição que eu”, disse Julia, a Jujugol, que com apenas 10 anos já é patrocinada pela Nike e tem mais de 80 mil seguidores no Instagram.

Apontada como uma futura grande craque, a garota coleciona troféus desde os quatro anos, quando começou a jogar futebol. Ela, que já foi a única menina em um torneio masculino, se mudou do Rio de Janeiro, onde nasceu, para São Caetano do Sul, em São Paulo. Segundo Claudia, a sua mãe, “o futebol feminino tem mais possibilidades”. Atualmente, ela joga pelo Centro Olímpico, Santo André Futsal e Grupo Fênix de Educação, em que estuda e faz questão de ressaltar a importância.

“O esporte e o estudo não podem andar separados. Eles tem que andar sempre juntos. Eu, como atleta, tenho que saber organizar bem o meu tempo. De segunda à sexta pela manhã eu vou para a escola. À tarde eu faço meus treinos e a minha preparação física. E aos finais de semana eu vou para os jogos e faço passeios em família”, explicou Jujugol.

No caso de Lucca, seus pais Cristiano e Lorraine também apoiam que o garoto siga o seu sonho, desde que cumpra com suas obrigações.

Fonte: R7