Telefone/WhatsApp: (84) 3412-4414

Globo, acuada, declara guerra à Turner. Por Brasileiro


Postado em 7 de agosto de 2020 - 7:10h

A Globo já perdeu uma guerra em 2020.

Contra o Flamengo.

Não transmitiu a final do Carioca.

eve de suportar que o SBT tivesse o privilégio.

Agora, surge outra grande batalha envolvendo o futebol, esporte que foi seu monopólio por décadas.

Desta vez o confronto é na tevê a cabo.

A emissora carioca sabe que a Turner está se articulando para usar o mesmo recurso do Flamengo, a MP 948.

Ela garante a transmissão por conta do mandante, mesmo se o clube adversário tiver contrato com uma rede de televisão.

A emissora que pertence ao bilionário grupo AT&T tem contrato com Athletico Paranaense, Bahia, Ceará, Coritiba, Fortaleza, Internacional, Palmeiras e Santos, para o Brasileiro deste ano.

E só poderia mostrar os confrontos entre esses clubes na tevê fechada.

Só que a Medida Provisória de Jair Bolsonaro pode ter mudado todo o cenário.

Há juristas que garantem que a Turner pode sim transmitir os jogos que os ‘seus’ clubes fossem mandantes.

Ou seja, enfrentado equipes que têm contrato com a Globo.

E é o que a emissora quer fazer.

Já tem, inclusive, vários pareceres jurídicos importantes que dão esse direito.

E os pretende usar já neste final de semana, quando começa o Brasileiro.

A cúpula da Globo soube.

E, primeiro, tratou de avisar os clubes que eles seriam sancionados, processados pela emissora, caso aceitassem as transmissões.

Mesmo assim, soube que a Turner não recuaria.

Porque ela não anunciou transmissão alguma.

Está quieta.

Mas pode fazer em cima da hora.

Narradores, comentaristas, repórteres da emissora norte-americana estão de prontidão.

E mais, clubes importantíssimos, como Flamengo, Palmeiras, Internacional, Grêmio São Paulo, Santos não posicionaram.

Ou seja, também pensam em administrar da melhor maneira o mando de suas partidas, no canal a cabo.

Diante desse quadro, a Globo decidiu avisar publicamente.

Irá à justiça para impedir essas transmissões.

Não recuará.

Como não pôde enfrentar o Flamengo, decidiu romper o contrato que tinha com a Federação Carioca de transmissão dos torneios estaduais entre 2021 a 2024.

A briga está na justiça.

A Globo não quer abrir mão do Brasileiro, como fez com o Carioca.

E vai manter o foco de sua briga na emissora rival.

A Turner promete não recuar.

Acredita que a MP 948 é o seu melhor escudo.

A guerra vai começar.

Este são os jogos da rodada do final de semana.

Sábado, 8 de agosto

19h – Fortaleza x Athletico – Arena Castelão
19h30 – Coritiba x Internacional – Estádio Couto Pereira
21h – Sport x Ceará – lha do Retiro

Domingo, 9 de agosto

11h – Botafogo x Bahia – Estádio Nilton Santos
16h – Flamengo x Atlético-MG – Maracanã
16h – Santos x Red Bull Bragantino – Estádio Vila Belmiro
16h – Goiás x São Paulo – A definir
19h – Grêmio x Fluminense – Arena do Grêmio

Abaixo, o primeiro torpedo.

A nota oficial da Globo.

“A Globo recorreu à justiça para impedir que a Turner exiba partidas de clubes da série A do Brasileirão cujos direitos pertencem à Globo, pois foram negociados há vários anos, com exclusividade, por aqueles clubes com a empresa.

“O entendimento da Globo é que a Medida Provisória 984 não pode retroagir para alterar situações estabelecidas em contratos celebrados antes de sua edição, pois são negócios jurídicos perfeitos, protegidos pela Constituição Federal.

“A posição da Globo já recebeu declarações de apoio de clubes como Corinthians, Fluminense, Botafogo, Atlético Mineiro, Atlético Goianiense, Goiás e Sport, que foram anexadas à ação.

“Da mesma forma, como já explicitado em notificação anterior, a Globo respeitará os contratos firmados por terceiros e não exibirá jogos na TV por assinatura em que os clubes que assinaram com a Turner sejam visitantes, ainda que os mandantes tenham cedido seus direitos à Globo para a mesma plataforma.

“Como parceira e incentivadora do futebol brasileiro há muitas décadas, a Globo acredita que o futebol só será capaz de vencer seus desafios com planejamento e segurança jurídica para aqueles que investem altas quantias nesse negócio tão importante para o Brasil e para os brasileiros.”

Declaração de guerra feita.

E, pelo jeito, aceita…

Cosme Rímoli/RN