Telefone/WhatsApp: (84) 99911-9627

Tóquio 2020 é a celebração do dia que o mundo temeu não chegar


Postado em 23 de julho de 2021 - 7:21h

Fonte: Reuters

O dia que o mundo temeu não chegar finalmente raiou na terra do sol nascente. A Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 acontece a partir das 8h (de Brasília) desta sexta-feira (23), bastante castigada pela pandemia do novo coronavírus, mas consciente da sua representatividade para a população, em geral, ainda trancada em isolamento.

Mesmo que sem a presença do público no Estádio Olímpico, existe a confiança de que o evento possa ser seguro com relação aos casos de covid-19. A ideia de “risco zero”, dita pelo próprio presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, de tão criticada foi diminuída para “mínimo possível de casos”.

Desde antes mesmo do desembarque na capital japonesa, Bach já vinha sendo atacado pela insistência na organização da 32ª edição dos Jogos Olímpicos. Do adiamento, há um ano, para cá, os níveis de aceitação do evento oscilaram entre a população, de maneira inversamente proporcional aos números de casos de covid.

Na semana do evento, os contaminados estiveram sempre acima de mil casos, sendo quase 200 mil mortos na região metropolitana da capital japonesa. Até a véspera da Cerimônia de abertura, o comitê local contabilizou 75 casos (seis atletas, 18 membros de comitês, cinco jornalistas, três empregados de Tóquio, 42 terceirizados e um voluntário).

“Nos últimos 15 meses, tomamos decisões diárias em bases muito incertas. Foram dias e dias de dúvida. Nós deliberamos e discutimos muito. Foram noites sem dormir e, como todo mundo, nós não sabíamos o que o futuro nos reservava”, disse Bach, em entrevista coletiva, na capital japonesa.

Fonte: R7