TSE indefere registro de candidatura de Wendel Lagartixa

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O Tribunal Superior Eleitoral indeferiu o registro de candidatura de Wendel Fagner Cortez de Almeida, mais conhecido como Wendel Lagartixa (PL). Ele recebeu mais de 88 mil votos no pleito de 2 de outubro e foi o mais votado na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte.

A decisão foi do ministro Ricardo Lewandowski, após pedido feito pelo Ministério Público Eleitoral do Rio Grande do Norte. O magistrado considerou que “a conclusão a que se chega é a de que o crime pelo qual Wendel Fagner Cortez de Almeida foi condenado – posse de munição de uso restrito – é classificado como hediondo”.

“Não tendo ainda transcorrido o prazo de 8 anos desde a extinção da punibilidade pelo cumprimento da pena, que se deu em 4/6/2021, imperioso se faz o reconhecimento da sua inelegibilidade”, completou o ministro.

Lewandowski ainda citou na decisão que Wendel encontra-se “atualmente privado de liberdade em decorrência do cumprimento de ordem de prisão temporária”, por possível participação em três homicídios”. Além disso, pontuou que “consulta ao site do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte – TJRN revela que o candidato possui processos ativos por homicídio simples, quadrilha ou bando, homicídio qualificado, entre outros”.

Ainda segundo o ministro, os crimes não implicam na inelegibilidade, mas alertam para um perigo. “Fato esse que, a despeito de não configurar inelegibilidade, é elemento revelador de periculosidade social”, finalizou.

A Justiça Eleitoral havia aprovado, por uninimidade, a candidatura do policial militar reformado em 12 de setembro. Antes da aprovação, o Ministério Público já havia pedido o indeferimento do registro. Contudo, os juízes tinham acatado os argumentos da defesa do então pré-candidato.

Wendel Lagartixa havia sido preso em 20 de julho em decorrência da Operação Aqueronte. Ele foi considerado suspeito de participar de um triplo homicídio no bairro da Redinha, na zona Norte de Natal. O ex-PM foi solto no dia 15 de setembro, três dias após o deferimento da candidatura.

Portal da Tropical

Postado em 21 de outubro de 2022