Dia Mundial do Doador de Sangue: confira 5 razões para fazer a doação

A doação de sangue é um gesto altruísta e voluntário que pode salvar muitas vidas. Em pouco tempo e sem muita preparação, é possível doar cerca de 450 ml de sangue, que representa apenas uma fração do total de sangue que circula no corpo de um adulto. Em 24h, o volume é reposto pelo organismo.
Nesta sexta (14/6), comemora-se o Dia Mundial do Doador de Sangue. Ainda em dúvida sobre por que se dirigir ao Hemocentro ou a um banco de sangue? Confira cinco razões para fazer a doação:

Ajuda pelo menos quatro pessoas
De acordo com o Ministério da Saúde, cada bolsa de doação pode salvar a vida de até quatro pessoas. O sangue é separado em vários componentes (hemácias, plaquetas e plasma), que serão direcionados para vários pacientes com necessidades distintas.

Até o momento, a ciência não conseguiu desenvolver tecnologia suficiente para recriar o sangue em laboratório — são muitas células diferentes com funções complexas que precisariam ser cultivadas para que o paciente recebesse o composto e não sofresse danos à saúde. Por isso, a doação entre humanos ainda é essencial para quem precisa receber sangue.

Permite a realização de cirurgias e auxilia pacientes que sofreram acidentes graves
Alguns dos usuários mais urgentes dos bancos são pessoas que sofreram graves traumas e perderam muito sangue. Cirurgias emergenciais, obrigatórias e eletivas também precisam de bolsas de sangue de prontidão para ajudar na recuperação do paciente.

Quando o estoque de sangue está baixo, a rede de saúde pode precisar suspender as cirurgias até que os níveis sejam repostos.

Ajuda pacientes que precisam de transfusão frequente de sangue
Pacientes com algumas condições de saúde, como doença falciforme, hemofilia, câncer e queimaduras, precisam de transfusões frequentes de sangue para repor algumas células.

Na doença falciforme, por exemplo, as hemácias do indivíduo têm um formato diferenciado, que não consegue transportar bem o oxigênio — por isso, é necessária a transfusão das células vermelhas. Pacientes com dengue grave, por outro lado, podem precisar de plaquetas, que auxiliam na coagulação do sangue.

Pela alta demanda, é importante que o banco de sangue esteja sempre abastecido. Para isso, a doação é essencial.

Ajuda bebês prematuros internados
Em alguns casos, bebês prematuros com anemia podem precisar receber o chamado concentrado de hemácias. A transfusão de células vermelhas do sangue ajuda no transporte de oxigênio, e contribui para a recuperação e crescimento da criança.

As hemácias, nesse caso, são provenientes de doações de adultos. “Adultos podem doar para bebês prematuros. A doação ajuda a salvar vidas de crianças recém-nascidas que apresentam anemia severa, principalmente os internados com necessidade de cuidados intensivos em UTI”, explica a hematologista Marielle Fraga Salenave, do Hospital Santa Lucia, em Brasília.

Benefícios para a saúde do doador
Praticar boas ações fortalece a saúde mental: estudos mostram que se voluntariar para realizar algo estimula os centros de recompensa do cérebro, diminui o estresse e até ameniza sintomas de depressão.

“O doador tem o benefício de salvar vidas! Ajudar o próximo traz mais felicidade e uma sensação de bem estar”, afirma Marielle.

Existem pontos positivos até para a saúde física. Uma pesquisa publicada no American Journal of Epidemiology mostra que doadores regulares de sangue podem ter uma redução de até 88% no risco de problemas cardíacos pela eliminação do excesso de ferro no organismo.

A retirada de sangue também promove a renovação celular, diminuindo o risco de alguns tipos de doença. O doador também recebe os resultados do exame de sífilis, hepatites B e C e HIV das amostras gratuitamente.

Doe sangue!
Convencido? Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos de idade (o menor de 18 precisa de autorização dos pais), pesar mais de 51 quilos e ter IMC maior ou igual a 18,5.

O doador deve apresentar um documento de identificação, dormir bem à noite, comer uma refeição saudável e não gordurosa, não ingerir bebida alcoólica nas 12h antes da doação ou fumar 2h antes. É importante verificar no site do Hemocentro sobre as condições que impedem a doação.

Todas as doações passam por exames sorológicos para rastrear algumas doenças, e serão descartadas caso estejam contaminadas. Antes do procedimento, o voluntário precisa responder um questionário e ser o mais sincero possível. No fim da doação, o indivíduo recebe um atestado médico abonando um dia de trabalho. Em alguns estados, o doador ganha desconto na inscrição de concursos públicos.

Metropoles

Postado em 14 de Junho, 2024